Ads 468x60px

Labels

Labels

8 de nov de 2010

Microsoft e sua eterna batalha contra a pirataria


O New York Times tem uma reportagem interessante sobre a constante ameaça da pirataria de software e a luta crescente da Microsoft contra ela. É uma história sórdida, que envolve crime organizado, bilhões de dólares, técnicas forenses à la CSI e governos de todo o mundo.

A Microsoft está basicamente treinando esquadras de proteção à propriedade intelectual em vários países para ajudá-los a lutar em sua batalha. Juntos, eles estão tentando derrubar o grande negócio que é a falsificação de software. E esses caras são bons! Existem fábricas produzindo a todo vapor milhares de discos pirateados, e imitando o produto autêntico da Microsoft o máximo que podem. Por exemplo, de acordo com o NYT:
Como forma de tentar diferenciar um produto original de um falsificado, a Microsoft coloca cerca de 2,5cm de um tipo especial de fio em cada colante de "certificado de autenticidade" encontrado em caixas de software e computadores. Os investigadores encontraram dezenas de carretéis de tecido contrabandeado - 130km de fio - em um galpão na China.
E a Microsoft está lutando uma guerra em todos os fronts. Se os piratas não entregam seus produtos falsificados em caixas e CDs, eles colocam links para baixá-los por toda a web. De acordo com a Microsoft, havia uma época em que eles removiam 10.000 links de software pirateado por mês. Agora eles removem 800.000 links por mês.
Uma novidade na história é que o crime organizado está expandindo seus negócios para software falsificado. Eles veem esse negócio como um complemento de baixo risco e alto retorno a drogas e sequestros. Diz o NYT:
O grupo até marca os discos que produz com "FMM", que significa Familia Morelia Michoacana [do México], ao lado da marca original de vários fabricantes de software.
A pirataria está em todo lugar. E parece que a Microsoft vai continuar desenvolvendo novas técnicas de lutar contra ela para sempre. Leia a reportagem completa no NYT.

0 comentários:

Postar um comentário

CÓDIGO DO LINKWITHIN